Volks apresenta na Europa o que chega aqui em outubro

Hairton Ponciano

O nome do jogo agora é Polo. A Volkswagen apresentou hoje na Europa a sexta geração do Polo, modelo que estreia no Brasil entre setembro e outubro, simultaneamente ao mercado europeu. Na Europa, o hatch terá preço inicial de 12.975 euros (cerca de R$ 43 mil na conversão direta).

O modelo agora passa a utilizar a moderna plataforma MQB A0, baseada na do Golf. E traz avanços até quando comparado ao irmão maior. Como o Passat e diversos modelos da Audi, o novo Polo oferece quadro de instrumentos virtual e configurável, que pode reproduzir o mapa do navegador GPS ou velocímetro e conta-giros, por exemplo.

Além disso, como no novo Mercedes Classe E, o quadro de instrumentos forma um conjunto praticamente único com o restante do painel, e se integra numa linha horizontal com a tela multimídia de oito polegadas.

Entre as tecnologias voltadas à segurança, estão detetor de pedestres com frenagem automática, controle de cruzeiro adaptativo (segue automaticamente o ritmo do trânsito), detetor de ponto cego, etc. São tecnologias normalmente associadas a automóveis bem mais caros, e não a um hatch compacto.

Porém, a Volkswagen não confirmou quais desses sistemas estarão no modelo produzido no Brasil (o carro voltará a ser feito em São Bernardo do Campo, como ocorria até 2015). No entanto, é certo que o modelo terá motores 1.0 (de três cilindros) e 1.4 TSI. A empresa não divulga se o modelo nacional terá o câmbio automatizado de dupla embreagem (DSG) que está no carro europeu.

Com relação ao Polo de quinta geração (que não chegou ao Brasil), o novo hatch cresceu 8,1 cm (foi para 4,05 m). No entanto, a medida é 10 cm menor que a do Polo de quarta geração, produzido no País entre 2002 e 2015. A distância entre eixos, de 2,56 m, é 5 cm maior que a Polo 4, e 9 cm maior que a do Polo 5. Isso garante mais espaço para pernas. A montadora alemã informa que a área para cabeça igualmente melhorou. Comparado ao Polo nacional, a altura subiu apenas 1 cm (1,45 m), mas o assoalho está ligeiramente mais baixo. Da mesma forma, o modelo está 2 cm mais largo (1,75 m), e o porta-malas foi de 330 para 351 litros (considerando o Polo nacional anterior).

A carroceria caracteriza-se por ter vários vincos, o que transmite sensação de robustez. Os grandes faróis têm luzes diurnas de LED.

Além das versões conhecidas (Trendline, Comfortline e Highline), a Volkswagen apresentou também a GTI e a Beats, voltada para o público jovem, e com ênfase na sonorização. A GTI tem motor 2.0 de 200 cavalos, e ao menos por enquanto ainda não está confirmada para o País. Na Europa, a versão esportiva chega no fim do ano.

COMPARTILHE